Quarentena com os nossos animais: 7 orientações

Photo by Samur Isma on Unsplash

Nesta fase de quarentena as rotinas da maior parte de nós estão totalmente alteradas e naturalmente os nossos animais sentem que algo está diferente. Alguns poderão estar a reagir de forma mais natural, com comportamentos habituais, outros poderão sentir agitação, mais stress, até estranheza. Em outros casos podemos notar que andam atrás de nós para todo o lado e estão mais dependentes. Cada animal estará a sentir e responder da sua forma, desenvolvendo percepções mais elaboradas do que possamos supor. Os nossos companheiros patudos compreendem mais do que imaginamos e é importante não desvalorizar o impacto que esta quarentena possa estar a exercer neles.


Partilho algumas orientações que me parecem importantes:

  • É importante normalizar e agir com a maior naturalidade possível. Se antes passávamos 8 ou mais horas fora de casa, não convem estar agora num ponto extremo em que não os largamos. Vamos tentar moderar e recorrer a estratégias: manter horários semelhantes no que toca a saídas à rua com os cães, horário de alimentação, tempo dedicado ao jogo, acesso a kongs, brinquedos, etc.;
  • Apesar de passarmos muito mais tempo em casa importa não superestimular, mas encontrar uma medida ideal entre tutor e animal em que cada um se sente bem, em equilíbrio e com as necessidades correspondidas;
  • No momento de sair de casa, caso tenham cães, tentem notar como se sentem e caso sintam medo e ansiedade recorram a ferramentas como a respiração consciente e diafragmática para tentarem serenar e aproveitar o pouco tempo no exterior que têm com eles;
  • Mantenham alguma “independência” dentro de casa, pois se os vossos animais já expressam ansiedade de separação a tendência será para intensificar ou se tal não costuma acontecer, posteriormente a ansiedade poderá surgir com o regresso aos horários habituais;
  • Falem com os vossos animais, sobretudo se notam maior dificuldade de adaptação nesta fase, eles entendem mais do que parece;
  • Enriquecer o ambiente de várias formas. Existem vários tipos de Enriquecimento Ambiental: sensorial, mental, alimentar, físico e social. Cada animal é único e terá diferentes preferências e necessidades. (Podes ler “Enriquecimento Ambiental para Cães” e “Enriquecimento Ambiental para Gatos” Em relação à estimulação sensorial podem experimentar novos e diferentes sons, odores, sabores, estímulos tácteis e visuais. O mais importante é identificar o que resulta com os vosso patudos, introduzindo os estímulos de forma gradual sem excesso; 
  • Praticar obediência básica: comandos como senta, deita, fica, para além de novos comandos e exercícios são essenciais para promover maior estabilidade, autocontrol, confiança e definição de limites em casa. Qualquer novo comando e exercício deve ser aprendido com reforço positivo, e não castigo, respeitando o ritmo do animal.

Espero que as orientações sejam úteis e que esta quarentena possa ser vivida em conjunto com os nossos animais da melhor forma possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *