Bem-estar Animal: 4 factores importantes

bem-estar animal

Photo by Ariana Suárez on Unsplash

A propósito de uma partilha no Stories sobre o floral Vervain, abordado na publicação: Florais de Bach para Animais: stress e ansiedade, partilho alguns factores importantes que influenciam o bem-estar dos nossos animais.

O primeiro factor base e essencial é a avaliação médico-veterinária. Se o animal apresenta mudanças de comportamento como maior agitação e hiperactividade é essencial, entre outras análises, descartar a hipótese de hipertireoidismo. Esta condição pode influenciar significativamente o comportamento e precisa de ser descartada. É SEMPRE importante considerar uma observação médica perante um estado emocional e comportamental alterado. A par da medicação prescrita o floral Vervain
seria uma das hipóteses para complementar a intervenção.

A alimentação é outra variável chave no âmbito do bem-estar animal. É importante ter em consideração os valores nutricionais da ração que é dada ou o plano alimentar desenvolvido se confeccionamos comida caseira para os nossos animais. Existe com muita frequência um desequilíbrio entre o nível de energia consumida e o gasto da mesma, pois a grande maioria das rações contem uma porção de hidratos de carbono, glúcidos como o amido, sacarose e lactose, superior a 50%. Deixo como sugestão o livro “Alimentação Caseira para Cães” da Veterinária Diana Baptista Mendes criadora do projecto Essencial Vet, um excelente livro para entender mais sobre nutrição animal. A veterinária Margarida Raposo do projecto Dvet é também uma referência na área. Caso não seja possível mudar para alimentação natural,
será preferível optar por uma ração biológica se possível e atender a variáveis como a idade, estado reprodutivo (inteiro, castrado, gestante ou lactante), raça e suas predisposições genéticas, nível de actividade e estado de saúde.

O enriquecimento ambiental é também um factor muito importante para o bem-estar animal, tanto a nível físico como psicológico. Os animais precisam de estímulo mental e físico quando passam muitas horas sozinhos. Não é de todo saudável deixá-los sem nada fazer, vão acumular energia, manifestar a mesma em comportamentos pouco adaptativos e funcionais como destruição de objectos, vocalização constante ou comportamentos também motivados pelo tédio como a lambedura psicogênica que pode avançar para dermatite e afigurar-se um ciclo difícil de interromper.  Deixar Kongs, jogos com várias peças, tapetes com comida ou brinquedos para encontrar, estimular o uso dos milhões de células olfactivas à procura da refeição entre as divisões da casa e fomentar a nossa própria imaginação para deixar os nossos companheiros com uma ocupação que os permitirá estar mais equilibrados e satisfeitos! Explorem as melhores opções tendo em conta a espécie do vosso animal, preferências e condições específicas relacionadas com o espaço e tempo que fica sozinho. Futuramente poderei abordar melhor o tema.

O treino comportamental pode fazer toda a diferença e ser imprescindível para a modificação de comportamentos. Como estamos a reagir perante um comportamento que queremos modificar? Por vezes reforçamos um comportamento indesejado e nem nos apercebemos. Em alguma situações torna-se imperativo procurar ajuda de um profissional da área comportamental porque através de uma observação e análise de um elemento externo, apercebemo-nos de  várias condutas que precisam de ser alteradas de modo a podermos também facilitar a mudança nos nossos companheiros patudos. Para além disso o treino pode ser uma excelente oportunidade para reforçar o vínculo com os nossos animais e para ganhar consciência da forma como comunicamos e nos relacionamos com eles. Se necessitarem procurem profissionais de confiança e estejam bem informados em relação aos métodos que utilizam!

Espero que esta partilha sobre bem-estar animal possa ajudar-vos a aumentar a qualidade de vida destes companheiros maravilhosos. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *