A Quarentena com os nossos animais: o que fazer?

Nesta fase de quarentena e após identificarmos algumas questões essenciais como:

  • Os animais não são infectados pelo Covid-19 nem transmitem o mesmo devido ao facto de ser uma estirpe diferente que até momento se revela comprovado que é transmitido somente de humano para humano.
  • A importância de garantir ração e/ou comida natural, areia, para além de outros recursos que já usem para criar atividades e enriquecer o ambiente durante 3-4 semanas.
  • Importância de sair com os cães em locais com o menor número de pessoas possível e idealmente protegidos com máscara e luvas, isto se não pertencermos ao grupo de risco nem apresentarmos sintomas.
  • Em caso de contaminação importa denominar um cuidador fixo para garantir as saídas e ficar responsável pelo animal, sendo que importa assegurar ainda um maior nível de higiene no contacto com os nossos animais.

Partilho sugestões que me parecem construtivas, sendo que em breve comunicarei em maior profundidade alguns pontos. Vejo esta crise como uma oportunidade não só de aumentarmos conhecimento sobre os nossos animais a vários níveis como de ampliar consciência sobre a importância dos seus papeis permitindo que melhoremos a conexão com os mesmos.

  • Aproveitar esta fase para notar se os cuidados profiláticos como a vacinação e desparasitação interna e externa estão em dia tal como a rotina de higiene oral que pode mais facilmente ser integrada neste momento e já ficar mecanizada para o futuro;
  • Rever o plano de alimentação actual, se existe necessidade de trocar devido a factores variados (peso actual, fase de vida, intolerância ou perda de apetite, etc.), hipótese de trocar por uma ração biológica ou até por comida caseira. Livros e referências: “Comida Caseira para o meu Cão” de Diana Baptista Mendes e “Abcão” de Joana Carido e Ana Teresa Peres; Dvet- Veterinários Holísticos ;
  • Emoção e comportamento: como tem estado o vosso animal a nível de ansiedade e stress, tolerância e contacto com outros animais e pessoas, medo, agressividade, apatia e vitalidade? Que soluções ou conjunto de abordagens poderiam ser benéficas? Terapias complementares, treino comportamental, enriquecimento ambiental (sempre adequado e importante), comunicação telepática?;
  • Se identificam alguma dificuldade ou interesse em melhorar algum aspecto em relação ao seu bem-estar que conteúdos seriam importantes conhecer neste momento e começar a aplicar?;
  • Aproveitem também para conhecer ainda melhor o vosso animal, atentar aos seus comportamentos, gestos únicos e característicos, preferências e sentir o tanto que nos proporcionam, principalmente nestes momentos de incerteza e mudança;
  • Brinquem com eles nesta quarentena, permitam-se sair um pouco desta bolha de dúvida e simplesmente aproveitar este tempo para descontrair junto dos vossos patudos, aprendendo a viver momento a momento.
  • Não descurem a vossa própria rotina de autocuidado tentando gerir estados de ansiedade e agitação que sempre influenciam os nossos animais. Criar o hábito de meditar perto deles, desenvolvendo visualizações específicas em que os incluímos num espaço de calma e tranquilidade poderá ajudar bastante, para além de medidas que partilhei em 10 ideias para viver melhor esta Quarentena .
  • Limpar e harmonizar a energia da casa é mais do nunca muito importante para nós e para eles. Em breve partilho algumas sugestões neste contexto!

Se tiverem dúvidas ou propostas de temas partilhem pf nos comentários! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *